Rachel Reis a nova estrela da MPB, lança EP, fala da vida, carreira e parcerias

Rachel Reis a nova estrela da MPB, lança EP, fala da vida, carreira e parcerias
Por Lucas Raion

Olá, estou de volta com mais um bate papo lindo. Desta vez, trago a jovem cantora e compositora Rachel Reis. A artista de Feira de Santana, Bahia, já é celebrada como um dos nomes mais potentes da nossa música popular brasileira e acaba de lançar seu primeiro EP. Aqui, ela divide conosco um pouco de suas inspirações, influências musicais, fala sobre o processo criativo e da sua parceria com os incríveis produtores Zamba e Cuper que deu origem ao EP “Encosta”, que com certeza será um dos destaques musicais deste ano de 2021. Sem mais, fique com a entrevista abaixo.

Feitos De Música > Minha voz (fale sobre sua essência musical; o que curte ouvir e cantar?)

Ouço de tudo um pouco, minha playlist é sempre misturada… mas acho que eu passo um pouco mais de tempo escutando MPB, algumas bandas de Indie rock. Eu sou muito de período também; tem tempo que eu tô escutando muito um estilo, depois outro, depois outro.

Feitos De Música > Influências (de pessoas, artistas e estilos musicais em sua vida, seu trabalho) 

Rachel Reis > Gal, Caetano, Jorge Ben, Mayra Andrade, Baianasystem… são alguns dos nomes que marcam forte quando penso em referência musical, artística. Mas acredito que acaba sendo o somatório de tudo o que eu escuto, tudo soma na hora que vou compor algo.

Feitos De Música > Dizem que baiano não nasce, estreia. Quero saber então Rachel, quando você se percebeu artista, que ser cantora era algo que gostaria – e está fazendo com maestria – de fazer em sua vida?

Rachel Reis > Mesmo tendo sido criada num ambiente musical, eu não me enxergava nessa posição; num local de destaque, de certa forma. Acho que tinha muito a ver com autoestima também, não sei… Sobre o processo de me ver como uma cantora foi acontecendo aos poucos. Na verdade, acho que ainda está acontecendo.

Feitos De Música > #tbt Em agosto do ano passado, a Taís Araújo encantada, assim como nós com o seu trabalho, compartilhou no perfil dela no Instagram o single “Ventilador”, como você ficou sabendo, como foi a repercussão?  

Rachel Reis > Fiquei sabendo através de uma prima minha que ela tinha colocado “Ventilador” pra tocar num vídeo dela. Não acreditei. Fui correndo no perfil conferir e realmente ela tinha colocado. Tomei um susto muito grande porque sempre admirei demais Taís (eu e todo o Brasil rs). Na hora compartilhei no Instagram e a marquei; ela disse que era isso mesmo e que inclusive amava a música. Além de me seguir, fez uma divulgação massa no perfil. Fiquei muito feliz porque sempre a tive como inspiração; assistia na TV e me sentia representada. Até hoje não acredito que ela me notou!

Feitos De Música > Assim como o single Saudade”, que é desde seu lançamento o maior sucesso nas plataformas de streaming, o EP “Encosta” também foi produzido em parceria com os produtores Zamba e Cuper. Como surgiu este harmonioso e potente encontro artístico de vocês?

Rachel Reis > Eu já conhecia o trabalho de Bruno (Zamba) e tinha vontade de trabalhar com ele. Na época ele estava corrido, então não rolou. Um tempo depois ele trouxe a melodia da música “Saudade” pra mim, onde ele estava construindo em parceria com Cuper. Disse que achou que combinava comigo e me perguntou o que eu achava de pôr a letra. Fizemos isso. E daí foram surgindo outras músicas: eu mandava uma composição daqui, eles mandavam um beat de lá, e daí já tínhamos um bom material na mão. 

Zamba, Rachel e Cuper por Julia Saba

Feitos De Música > Conta pra gente como foi o processo criativo para dar vida ao seu EP “Encosta”, que está belíssimo e acabou de aterrissar em todas as plataformas de streaming?

Rachel Reis > Esse trabalho foi e está sendo muito especial de fazer. A sintonia rolou muito fácil, foi um espaço de troca, escuta e cuidado. O processo tem sido importante para mim nesse período de pandemia, me jogar no EP foi uma forma de escape. O produtor musical Zamba traz uma bagagem de estudo na área instrumental com os ritmos eletrônicos, trap, pagotrap e estava num momento onde queria combinar texturas e contextos enquanto estava em isolamento social, quando pensou em se juntar com Cuper que é um guitarrista influenciado pela música caribenha e da américa do sul, e somado as minhas influências bem regionais conseguimos dar vida a este lindo projeto.

Sobre o nome, a gente teve muita dúvida, mas no final ficou “Encosta” por causa do trecho de “Saudade” que diz: “encosta em mim”. Acho que isso pegou muito forte pelo momento em que estamos; ficou transparente a importância e a necessidade do toque e da troca.

Feitos De Música > O Estado da Bahia é uma potencia artística e cultural. Tem uma sonoridade única e isso fica evidente em seu EP, que parece celebrar todos estes ritmos. Esta foi uma das intenções?

Rachel Reis > Foi sim. A gente brinca que o EP foi um prato onde todo mundo ia colocando o que mais gosta: o beat de Bruno, minha letra/voz, a guitarra de Cuper. Somos três artistas baianos e mesmo tendo referências diversas, acabamos mesmo que de forma indireta, influenciados pelo que a gente escuta desde criança em quase todos os lugares: o pagodão, o arrocha, o axé das antigas. Isso marca e é incrível!

Rachel Reis - revistafeitosdemusica.com
Capa EP “Encosta” – Por Maíra Moura Miranda

Feitos De Música > Se você fosse convidada para fazer um show cover em homenagem a um artista do qual é muito fã. Que artista seria este e o show seria criado a partir de que música / emoção? 

Rachel Reis > Poxa, eu gosto de muita coisa e meu inglês é bem ruim ainda, mas tenho um carinho especial por Amy Winehouse. Arriscaria alguma música dela – esperando que não haja nenhuma pessoa com inglês fluente na plateia rs.

Feitos De Música > Divida com a gente os cinco artistas, bandas que não saem de sua playlist ? 

Rachel Reis > Difícil pensar em algo porque eu curto muita coisa, não quero ser injusta comigo (rs) mas vamos lá: Jorge Ben, Céu, Caetano, Amy Winehouse e The Strokes.

Feitos De Música > Para você o que é ser feita de música?

Rachel Reis > Acho que é algo como ler nas entrelinhas, ver algo além do que se pode tocar. É sentir muito. 

Feitos De Música > Para a gente finalizar este papo maravilhoso, indique três artistas independentes que você admira o trabalho e que a gente vai curtir conhecer melhor?

Rachel Reis > São tantos, mas dessa vez vou citar: a Babalé, o Igor Liberato e o Victor Mus.

Espero que você tenha curtido tanto quanto eu, conhecer um pouco mais da vida e da arte desta artista incrível que é a Rachel Reis. Para continuar acompanhando o trabalho dela, ouvir o EP “Encosta” em sua plataforma de streaming preferida e assistir os visualizers de cada música, acesse aqui 😉

Abração e até,

Cristiano De Jesus

Cristiano De Jesus

Eu, comunicador e sonhador, filho da Dona Rosa e do Sr. João que, enquanto admira às belezas da vida, ouve boas histórias e muitas músicas para criar sua própria trilha sonora.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: