Arte-Educação e Música com Max Nevez do Grupo Ecoarte

Arte-Educação e Música com Max Nevez do Grupo Ecoarte

Olá! Eu bati um papo super interessante com o Max Nevez, que além de ser um cara incrível, é músico, compositor, dramaturgo, ator e arte educador no Grupo Ecoarte.

Para quem ainda não conhece o grupo trabalha a Arte-Educação, utilizando o método de Educação Instantânea para abordar diferentes temas de forma lúdica e de rápido entendimento, priorizando a auto estima dos alunos, participantes de nossos projetos.

Em primeiro lugar gostaria de saber qual a sua relação com a música? O que a música significa para você?

Minha relação com a música vem desde criança com a família, nas festas de rua, nos CIEPS, nos bailes da Furacão 2000, no Partido Alto dos botecos e da banda Legião Urbana que motivava a rapaziada a tocar violão.

A música é um desses milagres da vida que não tem explicação lógica, você sente e pronto. É o idioma da alma.

Você está à frente do Grupo Ecoarte, que é um projeto incrível e de suma importância no cenário da educação brasileira. Como surgiu este projeto e qual o propósito dele?

Primeiramente, eu não estou à frente do Grupo Ecoarte. Cada integrante tem sua importância e isso impulsiona o protagonismo de todos. O Ecoarte tem seus 14 anos de estrada graças ao trabalho de cada integrante, dos atuais e dos antigos, que entenderam a importante missão de poder colaborar com desenvolvimento do processo educacional no Brasil.

O projeto surgiu em 2005 onde duas atrizes, Camila Vetter e Morena Buzar, recém formadas na Escola de Teatro Martins Pena no Rio de Janeiro, resolveram usar suas habilidades para por em prática o conceito de Arte-Educação.

O nosso propósito é trabalhar questões de utilidade pública usando o lúdico como ferramenta de comunicação com os alunos da rede pública de ensino.

Como integrar música e educação de forma que desperte nas crianças, jovens e adultos um maior interesse pelo aprendizado?

Na verdade, é a música que se integra à educação. E dentro do ambiente educacional ela se torna uma atração, motivando o aluno a criar porque o tira daquele ambiente bucólico e permite que ele se abra para a informação, facilitando o trabalho do professor.

Como “agente transformador” neste universo educacional, como você lida com essa nova era digital? Pois por estarmos cada vez mais conectados, nosso índice de atenção diminui bastante. Vocês têm dificuldade de manter a atenção dos alunos durante a apresentação? Como vocês do Ecoarte lidam com isso?

Eu acredito que a era digital faz parte da evolução e a evolução faz parte do ser. Isso precisa ser entendido pela sociedade e a pedagogia tem o importante papel de entender esses fenômenos sociais e criar meios para diminuir os impactos que a tecnologia provoca dentro do processo educacional. Em relação a esses transtornos definidos já citados acima, o indicado é sempre buscar ajuda especializada.

Manter a atenção de qualquer espectador é difícil quando não se cria a atmosfera ideal para recebê-los. O Ecoarte realiza reuniões de planejamento para minimizar qualquer problema que atrapalhe a experiência dos convidados.

Abaixo um vídeo com um pequeno trecho da peça teatral Conte Comigo! + Jogo de Tabuleiro que eles trouxeram no ano passado para somar às atividades do grupo.

Conte Comigo! – Teaser 2018 from Grupo Ecoarte on Vimeo.

Que máximo esse teaser! Dá vontade de participar junto com as crianças, de tão astral que são estas atividades.

Infelizmente nós não temos uma boa base de educação aqui no Brasil. Os professores não são valorizados, não temos escolas, vagas para todos. Gostaria de saber como vocês se vendem neste momento de caos?

A educação no Brasil tem um problema estrutural e isso atrapalha todo o desenvolvimento no geral. E, apesar de alguns trabalhos isolados de professores que encontraram brechas para realizar projetos especiais, o macro da educação brasileira está falido. Não existe um plano e nem perspectiva de melhora porque na prática o Brasil precisa se reinventar educacionalmente e isso é assunto pra ontem.

Em relação ao mercado de trabalho o Ecoarte está atento às oportunidades que surgem. É óbvio que como estamos ligados a Arte-Educação as oportunidades são escassas. O que fazemos é criar uma corrente do bem para atrair parceiros que acreditem no poder que a arte tem de transformar o indivíduo em situação de risco social.

Quanto às instituições, o Grupo Ecoarte sempre foi bem recebido em todos os lugares onde se apresentou.

Time Ecoarte - Conte Comigo
A felicidade no rosto de quem proporciona através da Arte-Educação, um novo sentido ao saber.

Olhem a felicidade no rosto de quem leva através da Arte-Educação, um novo estímulo ao aprendizado. Da esquerda para a direita temos em cena: Lola Zeitune, Kakau Berredo, Flávia Espírito Santo, Joana D’Arc, Gustavo Barros e Priscila Fialho.

Soube que lançaram recentemente o show “Ecoarte Boas Maneiras”. Como surgiu a ideia, e o que nós podemos esperar deste show?

A ideia do show “Ecoarte Boas Maneiras” é pegar as músicas que foram criadas para os vários projetos e transformá-las numa grande celebração, onde o respeito ao próximo e à natureza, será a bandeira a ser levantada.

Infelizmente chegamos ao fim de mais um bate papo maravilhoso. Eu particularmente já conhecia o projeto que atua aqui no Rio de Janeiro, mas fiquei ainda mais feliz de saber do seu alcance, de ver que muitas escolas públicas podem ter acesso ao mesmo, ajudando os alunos a terem uma visão mais lúdica e criativa quanto ao aprendizado.

E ai, curtiram conhecer um pouco mais deste projeto incrível? Para você ficar ainda mais por dentro do trabalho do Max e toda turma do Grupo Ecoarte, você pode seguir o IG deles no Instagram e também acompanhar através da fanpage no Facebook.

Grande abraço e até a próxima,

Cristiano De Jesus

Cristiano De Jesus

Eu, comunicador e sonhador, filho da Dona Rosa e do Sr. João que, enquanto admira às belezas da vida, ouve boas histórias e muitas músicas para criar sua própria trilha sonora.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: